Museus Vivos, Descubra-os

Museu do Fado Lisboa
Conhece o Museu do Fado em Lisboa? Por lá passa-se muito mais do que peças expostas a recordar a história, este é um museu vivo, com dinamismo, e iniciativas que merecem esta partilha.
O primeiro destaque para o Concurso O Meu Fado, Rádio Sim procura novos talentos. Já começou a 3ª edição do concurso "O Meu Fado", uma iniciativa da Rádio Sim em parceria com o Museu do Fado. O objectivo é encontrar novos intérpretes e autores de poemas de Fado e as inscrições estão abertas até 1 de maio. Para se candidatar, consulte o regulamento no site da Rádio Sim. Os seleccionados cantam ao vivo no Museu do Fado à quarta-feira, em sessões apresentadas por José da Câmara e transmitidas em directo pela estação.
Neste museu existe fado vivo e nos próximos dias vão passar por lá vários artistas. Assim, depois do incrível concerto no CCB, Aldina Duarte vem esta quinta-feira, 12 de abril pelas 19h, ao Museu do Fado contar as suas histórias, falar do seu percurso, partilhar um pouco do seu fado. É o ciclo "Conversas de Museu", que semanalmente recebe as preciosas 'Obras de Arte', em registo informal e sem moderação.
João Chora assinala os seus 30 anos de carreira com a apresentação do álbum "Aromas de Fado", com direcção e produção musical de Custódio Castelo. Na próxima semana, no dia 17 de abril pelas 19h, estará ao vivo no Museu do Fado, acompanhado na guitarra portuguesa por Bruno Mira e na viola baixo por Fernando Maia.
 
Museu Nacional da Musica Lisboa
A Associação dos Amigos do Museu Nacional da Música apresenta um curso de 13 conferências sobre a história do JAZZ, conduzido por José Duarte, onde poderá treinar o ouvido, ouvir as histórias do autor do programa "Cinco minutos de Jazz", conhecer o universo deste género musical e ainda ter direito a algumas surpresas.
José Duarte divulga diariamente o jazz de todos os estilos e de todos os anos, de New Orleans ao swing, do bebop ao hard bop e ao free jazz. O "Cinco Minutos de Jazz", programa da sua autoria, é o mais velho da rádio portuguesa a ir para o ar, tendo feito 50 anos em 2016. Recebeu o Prémio de Melhor Programa de Rádio da SPA em 2014.
Quinta, 12 Abril - Free
Sexta, 20 Abril - Vozes
Sexta, 27 Abril - Video2
Quinta, 3 Maio - Europeu
Sexta, 11 Maio - Portugal
Quinta, 17 Maio - Século XXI Anos 10
Sexta, 25 Maio - Quem Toca
18h30 | Bilhete: 7,5€ | Sócios: 5 € | Pack 13 sessões: 60 € | Sócios: 40 €
 
MÚSICAS DO ACERVO - Compositores portugueses e seus contemporâneos
Neste ciclo de entrada livre, o público tem a oportunidade de conhecer compositores portugueses, cujas obras são pouco conhecidas do grande público. Ao contrário de alguns compositores de diferentes países da Europa, cujo trabalho é hoje globalmente reconhecido, a pouca divulgação da música erudita portuguesa remeteu muitas partituras ao esquecimento. Nestes concertos, a par da música portuguesa, será também possível ouvir música de consagrados de outros países, contemporânea da primeira. O objectivo do ciclo – que conta com o apoio do Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa - é que exista uma maior divulgação do acervo de partituras do Museu Nacional da Música e do património musical português.
O ciclo terá lugar todos os meses, até Junho de 2018, às 19 horas.
 
Museu do Aljube Lisboa
O dia 25 de Abril festeja também o 3º aniversário do Museu do Aljube Resistência e Liberdade.
Às 18 horas, Joana Brandão apresenta a sua peça «Coragem Hoje. Abraços Amanhã» com entrada gratuita mas exige marcação prévia.
“Coragem Hoje Abraços amanhã” cumpre o dever de memória sobre a violência em geral, e a violência de género em particular, exercida pelo regime ditatorial sobre as mulheres: torturadas barbaramente nos interrogatórios da PIDE, humilhadas na sua condição de mulheres sempre que eram presas, sujeitas aos mais duros sofrimentos quando, em virtude da sua condição de mães, se viam obrigadas a deixar os filhos com a família ou com amigos, ou quando se viam obrigadas a mante-los na prisão. Por fim quando sobre elas recaia a dura  tarefa de manter a família, sempre que o companheiro tinha sido preso ou tinha “mergulhado” na clandestinidade.
 
Museu Municipal Amadeu de Sousa-Cardozo Amarante
O Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (MMASC) inaugura, no próximo dia 14 de abril, sábado, pelas 16:00, uma exposição de pintura de Luís Delgado, designada “Homem perpendicular geométrico e real”.
Sobre a exposição e estilo de Luís Delgado, escreveu António Cardoso, Diretor do MMASC.
É uma linguagem reiterada ao longo dos anos, em escalas e suportes restritos, supondo uma iconografia repetitiva, alusiva ao corpo e suas metamorfoses.
Um desenho brincado, quase inciso, na geometrização das formas sobre fundos homogéneos, agregadores, monocromáticos.
De um código restrito, um quase-arquétipo, Luís Delgado parte para sucessivas associações e mutações, gerando apropriações de barcos, bolas, automóveis, máscaras de vida… e de morte.
 
Há, na envolvência, um lado críptico, fechado, que os próprios títulos das obras parecem denunciar.
O que podemos associar a estas raras propostas?
As nossas memórias da infância, jogos desenhados sobre a terra, no recreio ou na areia molhada da praia…
A mostra pode ser vista até 3 de junho na Sala de Exposições Temporárias do MMASC
 

Mensagens populares