Marselha não é só Euro 2016

Ir a Marselha e só ver futebol é como ir a Roma e não ver o Papa. Esta cidade francesa tem vários encantos pelo que vale a pena partir à sua descoberta.
Para quem não conhece mas ficou curioso com a chegada do Euro 2016 a França ficam algumas sugestões, de exposições e festivais, que irão decorrer ao longo deste verão em Marselha e que se puder deve aproveitar para assistir.
Imperium Romanum é o nome da exposição que pode conhecer de 24 de junho a 18 de setembro na Villa Meditêrranêe em Marselha. Este tema é bastante atual apesar de aparentemente não parecer pois em tempos de crise no processo de integração da União Europeia, a visão do Império Romano na exposição de fotografia de Alfred Seiland " Imperium Romanum " recorda-nos que alguns dos problemas políticos, culturais e religiosos mais importantes do nosso tempo não foram resolvidos ao longo destes últimos 2000 anos.
No ano de 2006, Alfred Seiland começou a trabalhar no seu projeto Imperium Romanum. Para isso estudou arquitetura, cultura e arte romana ainda visíveis no século XXI, começando o seu trabalho em Roma mas tendo depois alargando-o depois a Itália bem como à Europa e ao Mediterrâneo. Esta pesquisa se transformou assim no projeto de longo prazo, que se prolonga há mais de dez anos e que ainda não está concluído. Alfred Seiland nasceu em 1952, em Leoben, na Áustria onde reside. Dá aulas em Stuttgart, Alemanha e trabalha um pouco por todo o mundo.
A outra proposta também é dedicada a quem admira a arte da fotografia mas desta vez com uma temática bastante diferente. No Museu da Historia de Marselha vai estar patente ao público até ao dia 3 de julho a exposição “VELODROME - THE TWELFTH MAN”, subordinada ao tema do desporto. Até o final da década de 90 (entre 1996 e 2002) o fotógrafo francês Lionel Briot seguiu a equipa de futebol Olympique de Marselha com a sua máquina fotográfica, por toda a europa, acabando por se tornar num dos seus apoiantes. Esta mostra exibe público o registo de toda essa época.
Continuando o tour por algumas das exposições mais interessantes em Marselha, o Museu Regards de Provence celebra o Oriente através dos olhos de artistas franceses da Provence, italianos, espanhóis e argelinos do séc. XIX e XX. Nesta mostra a beleza e o mistério de cenas antigas e exóticas de um mundo real ou fantasiado do Oriente são destacadas através de quase oitenta pinturas e esculturas.
Bompard, Brest, Chabaud, Clavère, Corrodi, Courdouan, Crapelet, Huguet, Lazergues, Le Gac, Loubon, Pascal, Philipoteaux, Rochegrosse, Silbert, Washington, Ziem entre outros pintaram as belezas exóticas do Cairo, de Argel, do Nilo bem como as pirâmides, o deserto do Saara, caravanas misteriosas e os seus poços ou as miragens. E ainda guardas núbios, os pescadores no Nilo, mulheres luxuosamente vestidas que se encontravam nos haréns do sultão, bazares, negociantes de tapetes e objetos de arte.
 
No terraço do Mamo, de 2 de julho a 2 de outubro, vai ser possível conhecer a exposição “ A céu Aberto” de Felice Varini. A artista vai intervir em toda a plataforma com três peças (vermelho e amarelo) proporcionando três pontos de vista diferentes. Na origem deste desafio do mundo da arte está um convite à lógica por Ora Ito, criador deste centro de arte, para quem Felice Varini é uma das únicas grandes artistas contemporâneas.
Passando desta forma de arte para outra igualmente importante, a música também está na programação cultural de Marselha para este verão.
O Festival de Marselha, irá ter lugar de 24 de junho a 19 de julho e promete estar a entrar numa nova era com a chegada de Jan Goossens, que sucede Quintrand Apollonia, o fundador e diretor do evento que decorre desde 1996.
Este festival irá trazer a esta cidade alguns dos grandes nomes da arte internacional e entretenimento para um programa multi -disciplinar com um grande número de estreias e criações originais. No coração do festival deste verão estará a dança, ao lado da música, teatro musical, cinema bem como as artes visuais. O Festival decorrerá numa série de teatros bem como noutros lugares emblemáticos da cidade.
A outra proposta musical é o “MARSEILLE JAZZ DES CINQ CONTINENTS FESTIVAL” a ter lugar de 20 a 29 de julho. Desde o primeiro evento em 2000, o Festival manteve a ambição de trazer artistas de todo o mundo para Marselha, para atuarem num único ambiente, o Longchamp Palace.
No entanto hoje em dia o festival acabou por ocupar toda a cidade tendo chegado a ambientes especiais que conquistaram o público como o Mucem, o Friche Belle de Mai, o Teatro Silvain e os jardins do Palais Longchamp. E assim, mais uma vez este ano, Marselha vai sonhar ao som de jazz embalada pela voz de alguns dos maiores músicos da atualidade como Seal, Lars Danielsson, Jan Garbarek, Kyle Eastwood, Sarah McKenzie, Hugh Coltman, Jamie Cullum e muitos mais.

Mensagens populares