Lisboa recebe a 10ª Mostra Nacional de Ciência

Fundação da Juventude reúne os 100 melhores projetos de ciência e investigação juvenil no Museu Nacional de História Natural e da Ciência.
 Biologia, Ciências da Terra, Ciências do Ambiente, Ciências Médicas, Ciências Sociais, Economia, Energia, Engenharias, Física, Ciências da Computação, Matemática e Química são as categorias dos melhores projetos que este ano estão em destaque na 10ª Mostra Nacional de Ciência que se realiza de 30 de maio a 1 de junho no Museu Nacional de História Natural e da Ciência, em Lisboa. Cerca de 300 jovens coordenados por mais de 50 professores dão a conhecer os projetos que podem valer 6.000€ em prémios e a oportunidade de participarem em certames internacionais.
A Mostra Nacional de Ciência é já considerada uma das maiores a nível Europeu. É a partir deste encontro de ciência que a própria Fundação da Juventude, enquanto promotora do Concurso de Jovens Cientistas e Investigadores e da Mostra Nacional de Ciência, seleciona os projetos destinados a representar Portugal em competições europeias e internacionais de ciência, como sejam a Final Europeia, a Intel ISEF ou a Semana de Investigação sobre Animais Selvagens, a MOSTARTEC - Mostra Internacional de Ciência e Engenharia e o Certame Zientzia Azoka.
 
 
24º Concurso de Jovens Cientistas e Investigadores bate records de participações
 
 Com número recorde de participações, o 24º Concurso de Jovens Cientistas e Investigadores encerrou este ano com 163 projetos, dos quais foram selecionados os 100 melhores projetos que estarão em exposição na Mostra Nacional. «Trata-se de um importante encontro de jovens cientistas que tem vindo a crescer, tornando cada vez mais difícil a seleção de apenas 100 projetos. Este ano a Mostra Nacional conta com a participação de 268 jovens e 57 professores de 39 estabelecimentos de ensino, sendo que, pela primeira vez, conta com a participação de jovens estudantes do Brasil, Espanha e Moçambique», acrescenta Ricardo Carvalho.
Aberto a estudantes do ensino básico, secundário ou primeiro ano do ensino superior a competição deste ano revelou uma forte adesão de instituições de ensino da região Centro: Castelo Branco, Leiria e Aveiro reúnem mais de metade (58%) dos projetos selecionados para exposição.
A avaliação e a seleção dos trabalhos cabe a um Júri designado pela Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, o qual integra professores e investigadores de reconhecido mérito das diferentes áreas científicas envolvidas, para além de representantes da Direção Geral da Educação do Ministério da Educação, Agência para a Energia e da Agência Portuguesa do Ambiente.

Mensagens populares