Avançar para o conteúdo principal

5 Pretextos Para colocar Óbidos nas Suas Prioridades

1 - Óbidos fica perto de tudo
Se geograficamente Portugal está muito bem localizado no mapa-mundo, tendo vindo a tornar-se um ponto de paragem obrigatório para quem viaja entre continentes, Óbidos ocupa um lugar estratégico em Portugal, estando localizado a menos de uma hora de carro de Lisboa mas muito perto do Porto ou de Faro. As autoestradas dão uma boa ajuda e este pequeno ponto em Portugal é largamente conhecido lá fora, sendo um ponto obrigatório de visita para muitos turistas que percorrem o país de carro.
 
2- Óbidos está sempre em festa
Fruto de uma agenda cultural muito diversificada, a vila de Óbidos tem um dinamismo de fazer inveja aos seus vizinhos mais próximos. Se duvida acompanhe-nos: durante o mês de Dezembro decorre a Vila Natal, sempre cheia de sonhos encantados e de muita magia. Nem o clima típico do Oeste faz com que as famílias fiquem em casa, se nunca foi, vale a pena conhecer; Com o começo da Primavera, mais concretamente entre Março e Abril decorre o Festival do Chocolate. O cheiro doce e quente desta delícia negra espalha-se pelas ruas e entranha-se nas narinas e na roupa mas só percebemos tudo isso mais tarde, pois enquanto caminhamos pelas ruas, admiramos as belas peças de arte de chocolate ou o saboreamos não nos lembramos de mais nada; o Mercado Medieval de Óbidos decorre no Verão, nos meses de Julho e Agosto e entre muralhas rumamos à época do ferro forjado, das damas e das espadas, dos cavaleiros e dos mistérios da Idade Média, já os que possuem um espirito mais prático rumam em direção ao porco que assa devagarinho no espeto e saboreiam um copo de vinho em tacas de barro; SIPO, a Semana Internacional de Piano de Óbidos decorre este ano até 21 de Agosto de 2017 e como sempre acolhe grandes personalidades do meio musical e jovens estudantes, vindos de todo o mundo; A Semana Santa de Óbidos leva-nos de volta ao mais profundo da religião católica apresentando um programa cultural com concertos, exposições e autos e este ano vai ainda ter lugar o Buskers Festival, um Festival de Artes de Rua a ter lugar nos dias 9 e 10 de Setembro nas ruas de Óbidos.
3- O Clima do Oeste
O Oeste é conhecido pelas surpresas desagradáveis que prega a quem vai de férias para esta zona. O Oeste não é o Algarve e até parece que tem orgulho em mostrar essa diferença. Nesses dias de nevoeiro em que a ida à praia tem de ser adiada para evitar constipações de Verão, Óbidos apresenta-se como a melhor alternativa com as suas ruas pitorescas onde é agradável passear em família.
4- A Vila de Óbidos é única
Não existe na Zona Centro outra terra igual a Óbidos. Se rumarmos a sul em direção ao Alentejo encontrarmos outras pequenas vilas com características idênticas mas no centro do país não existe outra terra que consiga combinar tão bem a magia do passado com o sucesso do presente.
5- Pode visitar 1000 vezes que vai sempre encontrar novos detalhes.
Pessoalmente já devo ter ido a Óbidos mais de 1000 vezes. Nunca me canso e encontro sempre pequenos detalhes, novos pontos de interesse, pequenos pontos que me permito pensar que ninguém viu. A ginjinha em copos de chocolate e os espaços de restauração acompanham o crescimento das lojas de artesanato mas preste atenção, Óbidos é muito mais do que isso, é a Vila dos pequenos detalhes, que namora devagarinho, seduzindo todos os visitantes.




























Comentários

Mensagens populares deste blogue

Ponte da Barca, onde a felicidade se veste de verde

Escolher Ponte da Barca é escolher um lugar onde o verde ocupa cada canto, um lugar onde a vida ainda corre devagar, onde as pessoas se sentam nas esplanadas enquanto se conversa animadamente e os miúdos riem alto, saltitando por entre as cadeiras. Escolher ponte da barca é escolher a natureza em estado puro, ouvir as horas a passar devagar, ao ritmo do compasso lento do sino da igreja.Escolher Ponte da Barca é estar mesmo ao pé do Geres, da Ecovia do Vez, em pleno Alto Minho, uma terra abraçada pelo Rio Lima e que ainda serve muitos peregrinos a caminho de Santiago de Compostela. A ponte que domina a paisagem, datada de 1450, une duas margens, une gentes e aproxima regiões.Esta é uma terra rica, onde o granito se funde com as paredes brancas e os canteiros de flores dão um toque colorido e cuidado à vila. A não perder, os Paços do Concelho, o Pelourinho, o Mercado Pombalino e a Igreja Matriz dedicada a S. João Baptista. Igualmente a não perder, a pesca da lampreia no Rio Lima, os cou…

Canyoning ou a arte de se divertir no Gerês, em plena natureza

Quem nunca experimentou canyoning não sabe o que está a perder. Recomendo que comece devagar e a Norte porque o Gerês tem um encanto natural difícil de encontrar noutro lugar, no mundo, que leve um grupo de bons amigos e que escolha a Toboga -  https://portal.toboga.pt/Canoyoning, faz lembrar canoa certo? E a tradução fácil e para mim está quase correta porque é o nosso corpo que faz de canoa por entre pedras e riachos e…. não é que é tão divertido?!Não sou masoquista, mas vou sempre preparada para sofrer. Imaginem que estão na beira de uma estrada, com uma escarpa que parece a pique até ao rio que mal se ouve lá ao fundo. O primeiro pensamento é - ainda temos de caminhar pelo alcatrão para encontrar o caminho, depois olhamos melhor, só pelo canto do olho porque a alma não ficou tranquila, e vimos um pequeno caminho de pedras e terra e um pequeno apoio lateral que parece descer a pique por ali abaixo…não, não vamos descer por ali, pois não? UI, afinal vamos! Isto depois de termos sofr…

Na Vidigueira a Adega do Zé Galante é Que é

Do que mais gosto é de descobrir pequenos segredos, lugares pouco explorados, pequenos encantos, especiais porque quase ninguém os conhece. Na Vidigueira há um lugar assim, uma adega onde o vinho da talha embala os petiscos que só podemos degustar numa casa alentejana. Qual é o segredo? É que aqui estamos mesmo em casa e sentimo-nos tão confortáveis que não nos apetece sair e para quem quiser continuar a viver a experiencia de se sentir assim tão bem, existe perto um alojamento local, elaborado com o mesmo conceito, e que complementa a vivencia. O texto abaixo não é da minha autoria, foi-me enviado pelo próprio Zé Galante. O Alentejo tem muitos segredos para desvendar, acompanhem-me nesta viagem: “Foi aos 55 anos que José Galante decidiu que era tempo de dar por concluída a carreira de inspetor da Polícia Judiciária. Com a chegada da reforma passou a ter tempo para, enfim, se dedicar à "paixão" de sempre: o fabrico do vinho da talha. Em Vila de Frades - terra onde o avô já fazia…