Sugestões Para Sair de Casa

Amarante
O Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (MMASC) volta a receber, este ano, a 26 de maio e 15 de julho, “Música para Bébés”, um espetáculo levado à cena pelo grupo DançArte e que se destina a crianças até aos 36 meses.
“Tarará-tchim - música para bebés” é um espetáculo que oferece a dança, a música e outras artes, num contexto pensado ao pormenor, onde a luz, o som, o cenário e a imagem se interligam e criam uma oferta única.
Os intérpretes partilham o espaço com os bebés e os amigos que os acompanham, apelando à partilha e interação. Com objetivos de criar novos públicos desde tenra idade, a proposta estabelece também hábitos culturais para toda a família.
As inscrições para a participação de bébés nos espetáculos de 26 de maio e 15 de julho, ao preço de cinco euros, são obrigatórias e deverão ser feitas na receção do MMASC a partir de 18 de maio.
Cada criança far-se-á acompanhar de apenas um adulto.
 
Arcos de Valdevez
A Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez e o Município de Arcos de Valdevez organizam o III FESTIVINHÃO – Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez, de 1 a 3 de Junho, em Arcos de Valdevez.
Este evento conta com o apoio da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Escola Profissional do Alto-Lima, Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, Confraria do Vinho Verde e Associação de Municípios Portugueses do Vinho.
O Festival terá lugar no centro histórico da Vila, no Jardim dos Centenários, contando com espaço de exposição, espaço de provas de vinhos e apresentações, tasquinhas de petiscos, animação de palco, animação de rua, curso de iniciação à prova de vinhos, percursos turístico-gastronómicos pela Vila, visitas a Quintas/Adegas e oferta turística e cultural diversa. O Festival incluirá este ano a I Edição da ‘Rainha das Vindimas Arcos de Valdevez’ e integrará também a selecção do ‘FESTIVINHÃO’18 Vinho do Ano’
 
Cascais
Na sequência do concurso Teatro Jovem, promovido pelo Teatro Experimental de Cascais, no âmbito da Capital Europeia da Juventude – Cascais 2018, o encenador Carlos Avilez decidiu levar à cena o texto vencedor “Um rapaz chamado Rupert partiu-te o nariz com um pau?”.
Este texto inédito, primeira obra do jovem autor de 19 anos, Guilherme Pelote, pretende explorar, através de referências contemporâneas, situações extravagantes, mas inerentes à condição humana. Nele, um jovem escritor desenvolve um alter-ego, enquanto espera o momento de embarcar num voo, apoiando-se em memórias diversas, tais como aquelas do dia em que um rapaz chamado Rupert lhe partiu o nariz com um pau.
O espetáculo pode ser visto até 27 de maio, pelas 21h30, no Teatro Municipal Mirita Casimiro, contando com um elenco onde pontificam jovens talentos, tais como Bárbara Branco e José Condessa, que protagonizam os papéis principais.
 
Castro Marim
A Casa do Sal, em Castro Marim, inaugurou este mês uma nova exposição, patente até ao final do mês de agosto. “Do Mar à Serra, Somos o que Fomos” é uma exposição de etnografia que enfoca na cultura regional, destacando os costumes algarvios nas primeiras décadas do século XX, e na cultura local, protagonizando algumas emblemáticas personagens, tradições e hábitos que fazem parte da memória dos castromarinenses.
Os artefactos desta exposição são manifestações materiais das atividades das gentes algarvias. Nela podemos encontrar antigos mesteres, como o aguadeiro, o cabreiro ou a salineira, num revivalismo de práticas que o tempo quase apagou, mas também com o objetivo de valorizar e preservar a identidade cultural junto do público mais jovem.
Pretende-se, ao longo da exposição, desenvolver um conjunto de manifestações etnográficas e artísticas, versadas em cada uma das profissões. Far-se-á uma reflexão conjunta sobre o artesanato e as artes ancestrais, entre artesãos, promotores turísticos e designers. Pela Casa do Sal vão então passar várias expressões artísticas, desde folclore, teatro, artesanato, estátuas vivas. Em permanência, está recriada uma taberna típica onde se poderá simplesmente estar ou conhecer e entreter-se com jogos de “outros tempos”. 
A exposição “Do Mar à Serra, Somos o que Fomos”, é uma iniciativa promovida pelo Município de Castro Marim, em estreita parceria com o Museu do Traje de São Brás de Alportel e com o Museu Regional de Faro e foi confianciada pelo Programa Interreg Espanha-Portugal 2014-2020, apoiado pela União Europeia, cofinanciada a 75% pelo FEDER, projeto 0131_FOURTOURS_5_E. Contou ainda com a colaboração da Associação Cultural Amendoeiras em Flor, Associação Cultural Mito Algarvio, Banda Musical Castromarinense, Casa do Povo do Azinhal, Santa Casa da Misericórdia de Castro Marim, Associação A Moira e Câmara Municipal de Alcoutim.
 
Marinha Grande
É possível visitar, até 24 de junho, a exposição “Viver a Fé em Cristo na Marinha Grande", no Núcleo de Arte Contemporânea, situado no Edifício da Resinagem, na Marinha Grande. A entrada é livre.
Trata-se de uma mostra de património cultural da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário da Marinha Grande, no âmbito da comemoração do Centenário da Restauração da Diocese de Leiria-Fátima.
A organização está a cargo da Paróquia da Marinha Grande e do Departamento do Património Cultural da Diocese de Leiria-Fátima, com o apoio da Câmara Municipal da Marinha Grande.
Terça, quinta-feira e sábado: das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 16h00. Últimas entradas às 12h30 e 15h30.
Quarta e sexta-feira: das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. Últimas entradas às 12h30 e 17h30.
 
Setubal
 O peixe de Setúbal é rei nas ementas de perto de quatro dezenas de restaurantes, na sexta, sábado e domingo, num novo festival gastronómico que inclui sessões de cozinha ao vivo, degustações e uma mostra de doçaria especial.
Carapau e sardinha assados, choco frito e caldeirada, entre muitas outras propostas tradicionais ou mais inovadoras, estão em destaque no Festival do Peixe de Setúbal, organizado pela Câmara Municipal em parceria com a Docapesca, no âmbito da marca Setúbal Terra de Peixe e inserido na Semana do Mar e do Pescador.
O evento gastronómico inclui sessões de cozinha ao vivo com degustação, sexta-feira e sábado, às 21h00, na Casa da Baía, com os chefs Rita Gonçalves e Miguel Bértolo, e no sábado, às 11h00, na Mercearia Confiança do Troino, com a chef Patrícia Borges. 
Também sexta e sábado, às 20h30, na Casa da Baía, há degustações de pratos apresentados pelos restaurantes A Vela Branca, Adega Leo do Petisco, A-Mar Setúbal, Cantinho dos Petiscos, Ferribote, Novo 10, O Convés, Rebarca, Ribeirinha do Sado, Solar do Marquês e Taberna Grande.
No último dia do festival, domingo, a partir das 16h00, há uma mostra inovadora de doçaria feita com peixe pelos chefs Álvaro Santos, José Serrano e Nuno Gil, pelo grupo #inprováveis, e pelos estabelecimentos A-Mar Setúbal, Batikanos, Confeitaria D’Arrábida, Geladaria Valenciana e N’a Pas de Quois.
Para participar em qualquer uma das iniciativas não é necessária inscrição, sendo que o valor por degustação é de 1,5 euros.
Participam no Festival do Peixe de Setúbal, com diversas propostas de confeção do pescado, os restaurantes A Casa do Peixe, A Barreira, A Vela Branca, Adega do Zé, Adega dos Garrafões, Adega Leo do Petisco, A-Mar Setúbal, Bombordo, Cantinho dos Petiscos, Casa do Mar, Casa Lagarto, Copa D’Ouro, Ferribote, Mar Azul, Nova Taberna o Pescador, Novo 10, O Alface, O Batareo, O Bote, O Convés, O João do Peixe, O Nau e O Praxedes.
Petisqueira o Manuel, Poço das Fontainhas, Rebarca, Restinguinha, Ribeirinha do Sado, Solar do Marquês II, Taberna de Azeitão, Taberna Grande, Taberna Típica O Pescador II, Tasca da Fatinha, Tasca das Marés, Tasca do Xico da Cana, Tasca Kefish, Ti Prudência, Verde e Branco e Zagaia também fazem parte do evento.
 
 Vouzela
A não perder, o Mercado Medieval em Cambra a ter lugar no fim-de-semana de 30 de junho e 1 de julho,  junto à Torre medieval de Cambra.

Mensagens populares