Portugueses Puxam Pelo Turismo Algarvio e a Procura Internacional Desacelera

A hotelaria do Algarve começou o ano com um aumento homólogo de 8,8 por cento nos proveitos totais registados em janeiro, enquanto as dormidas e os hóspedes se mantiveram estáveis. A informação foi divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que assinala em todo o país uma desaceleração nos principais indicadores da hotelaria.
Após ter fechado 2017 com novos recordes anuais no setor das viagens e turismo – 19 milhões de dormidas, mais de mil milhões de euros de proveitos e 4,1 milhões de hóspedes nos hotéis, além de 8,7 milhões de passageiros movimentados no aeroporto e de 1,3 milhões de voltas de golfe – o Algarve começa 2018 com 476,5 mil dormidas em janeiro, o mês mais fraco do ano na região, que mantém o resultado do ano anterior.
Por mercado, a novidade é a subida de 12,6 por cento nas pernoitas dos portugueses no destino, para cerca de 86,2 mil dormidas no primeiro mês do ano. As dormidas dos principais emissores externos no Algarve registam evoluções favoráveis na Alemanha, França e Irlanda e quedas no Reino Unido, Holanda e Espanha.
Segundo o INE, os estabelecimentos hoteleiros da região alcançaram 111,9 mil hóspedes (-0,9%) e totalizaram mais de 18 milhões de euros de proveitos (+8,8%). Ainda em janeiro, a ANA – Aeroportos de Portugal assinala 217 mil passageiros movimentados pelo aeroporto de Faro (-0,7%) e a Algarve Golfe regista 77,6 mil voltas de golfe nos campos seus associados (+6,1%).
A nível nacional os estabelecimentos hoteleiros e similares registaram 1,0 milhões de hóspedes e 2,5 milhões de dormidas em janeiro de 2018, correspondendo a variações de +3,7% e +5,1% (+11,5% e +10,0% em dezembro, respetivamente). As dormidas do mercado interno aumentaram 7,0% (+12,2% no mês anterior) e as dos mercados externos cresceram 4,3% (+8,7% em dezembro).
A estada média (2,47 noites) aumentou 1,4% (+3,9% no caso dos residentes e -0,1% nos não residentes). A taxa líquida de ocupação-cama (30,0%) aumentou 1,1 p.p.
Tal como as dormidas, os proveitos desaceleraram a nível nacional, tendo no total apresentado um crescimento de 12,2% (+17,5% em dezembro) e ascenderam a 138,2 milhões de euros. Os proveitos de aposento subiram 14,0% (+21,0% no mês anterior) e atingiram 96,2 milhões de euros.

Mensagens populares