Já conhece a ferramenta que permite descobrir oportunidades de compensações em viagens de avião?


As regras do mundo da aviação estão a mudar a um ritmo mais rápido do que a velocidade do som surgindo novos produtos e novas oportunidades de negócio.
Se as companhias aéreas podem considerar que as normas impostas para compensação dos passageiros em caso de cancelamento ou atraso dos voos são demasiado penosas, pois comparam o valor da indeminização com o preço dos bilhetes pago, por outro lado muitos passageiros afetados nunca reclamam a compensação devida.
Neste contexto tão dinâmico surge a AirHelp, uma empresa que se dedica à defesa dos direitos dos passageiros aéreos e que se afirma como líder mundial na obtenção de compensações por perturbações em voos. A mais recente novidade apresentada pela AirHelp passa pelo lançamento de uma ferramenta que permite aos viajantes verificarem a elegibilidade de compensações por perturbações em voos ocorridas nos últimos três anos, permitindo ainda fazer um mapa ilustrativo das viagens, utilizando dispositivos móveis, e que pode ser partilhado nas redes sociais.
Além da rápida compensação e notificação, a nova ferramenta inclui uma funcionalidade de visualização de dados que os viajantes podem usar para criar mapas personalizados das suas viagens e partilhá-los no Facebook e no Twitter. Analisando dados de voos passados e incluindo voos assim que são reservados, a ferramenta cria um mapa de voos recentes, informa quanto gastámos em bilhetes de avião, quantas vezes viajámos até à lua, entre outras curiosidades que realçam experiências passadas de uma forma divertida e ilustrativa.
Mas quem é a Airhelp? Fundada em 2013 e presente em Portugal desde essa data, esta startup apoiou até ao momento mais de cinco milhões de clientes a submeterem uma reclamação, o que representa cerca de 300 milhões de euros em compensações.
Dispondo da maior base de dados de informação sobre voos, a AirHelp combina todos os conhecimentos sobre a regulação do espaço aéreo e algoritmos próprios tendo como objetivo tornar a reivindicação de compensações tão fácil e fluida quanto possível.
Todos os anos, mais de nove milhões de passageiros têm direito a uma compensação, mas apenas 2% conhecem os seus direitos e avançam com a reclamação. Isto significa que cerca de 2,3 mil milhões de euros ficam por reembolsar. É aqui que a AirHelp entra.
No ano passado, investidores internacionais aplicaram 12 milhões de dólares na empresa. Este investimento foi conduzido pela Khosla Ventures, Evan Williams, Naval Ravikant, Jimmy Maymann, U-Start e Galvanize Ventures. A empresa tem escritórios em Nova Iorque, Berlim e Gdansk, estando representada em mais de 30 países da Europa, Ásia, América do Norte e América do Sul.

Mensagens populares