Nos Próximos dias em Portugal….

Algarve
Festival AlGharb. Come - Sentir o Património  
 04/11 - 10h00   
 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO – Mercado Municipal  
 Entrada Gratuita
 
Festa dos Sentidos - A VOZ DO MUNDO  
 04/11 - 17h00   
 LAGOS – Núcleo Museológico Rota da Escravatura - Mercado de Escravos  
 €2  
 
 
Festa dos Sentidos - DESDOBRÁVEL - Performance de dança pela Corpodehoje  
 05/11 - 21h30   
 TAVIRA – Fundação Irene Rolo  
 €5  
 
Ópera "O Barbeiro de Sevilha"  
 02/11 - 21h30   
 FARO – Teatro das Figuras  
 €35 - 1ª plateia | €30 - 2ª plateia
 
Concerto com Ala dos Namorados  
 05/11 - 17h00   
 LOULÉ – Cineteatro Louletano  
 €10
 
19.º Encontro de Tunas Académicas de São Brás de Alportel  
 04/11 - 21h30   
 SÃO BRÁS DE ALPORTEL – Cineteatro   
 €3  
 Associação Cultural Sambrasense
 
Festival de Orgão do Algarve  
 03/11 a 25/11 - 21h30   
 PORTIMÃO, FARO, BOLIQUEIME e TAVIRA  
 Entrada Gratuita  
 Associação Cultural Música XXI
Almada
Entre 2 e 5 de novembro, realiza-se o Ciclo de Cinema Sobre os Direitos das Crianças no Fórum Municipal Romeu Correia – Auditório Fernando Lopes-Graça, em Almada.
Nos dias 2, 3, 4 e 5 de novembro, após as sessões dos filmes, realizam-se debates com os realizadores Luís Filipe Rocha e António Borges Coelho, o produtor Fernando Centeio e a coordenadora do Plano Nacional de Cinema, Elsa Mendes.
Este ciclo de cinema é organizado pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Almada, com os apoios da Câmara Municipal de Almada e do Ministério da Educação, através do Plano Nacional de Cinema.
A entrada é livre, mas com levantamento prévio do bilhete.
Programa
2 de novembro, quinta-feira, 21h30
As Melhores Coisas do Mundo, de Laís Bodanzky
2010 | Brasil | Comédia | M/12
«Mano é um adolescente de 15 anos. Está a aprender guitarra para chamar a atenção de uma rapariga. Pelo meio tem de lidar com os colegas da escola e com os típicos casos da adolescência.»
3 de novembro, sexta-feira, 21h30
A Passagem da Noite, de Luís Filipe Rocha
2003 | Portugal | Drama | M/12
«Mariana tem 17 anos, vive na periferia de Lisboa e é estudante. Um dia vê-se confrontada com uma situação desesperada: é violada por um toxicodependente e descobre, mais tarde, que está grávida.»
- Debate com o realizador do filme, Luís Filipe Rocha, e a coordenadora do Plano Nacional de Cinema, Elsa Mendes.
4 de novembro, sábado, 16h00
Gesto, de António Borges Correia
2011 | Portugal | Documentário/Ficção | M/12
«António tem 18 anos, é surdo profundo e pretende estudar cinema fora de Portugal. Quer tornar-se realizador para fazer filmes para todos. Mas o seu sonho tem um preço.»
 Debate com o produtor do filme, Fernando Centeio, e a coordenadora do Plano Nacional de Cinema, Elsa Mendes.
5 de novembro, domingo, 21h30
Os Olhos de André, de António Borges Correia
2015 | Portugal | Documentário/Ficção | M/12
«No seguimento do olhar desenvolvido pelo realizador António Borges Correia nos filmes O Lar e O Gesto, a paisagem de Arcos de Valdevez serve de cenário para recriar, com as mesmas pessoas, uma história verdadeira.»
Debate com o realizador do filme, António Borges Coelho, e a coordenadora do Plano Nacional de Cinema, Elsa Mendes.
Marinha Grande
A Galeria Municipal, situada no Edifício dos Arcos, junto ao Jardim Stephens, na Marinha Grande, tem patente a exposição coletiva de pintura “Sou do tamanho do que vejo”, até ao dia 30 de novembro.
A mostra, que inaugurou no passado sábado, 28 de outubro, apresenta cerca de 40 trabalhos em pintura da autoria dos alunos da escola de artes Amarte, desenvolvidos ao longo dos ateliers de pintura e desenho.
O projeto Amarte administra aulas de desenho e pintura e pretende ir além das competências artísticas, sendo estimuladas “a criatividade, as emoções, as relações de amizade e a confiança”. É o resultado desse trabalho complementar realizado nas aulas, que é apresentado nesta coletiva de pintura.
A exposição “Sou do tamanho do que vejo” pode ser visitada até ao dia 30 de novembro, de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. A entrada é gratuita.
*******
A Câmara Municipal organiza a 3ª Edição do Festival de Jazz da Marinha Grande, que decorre de 11 a 25 de novembro, na Casa da Cultura Teatro Stephens.
Este Festival é exclusivamente dedicado à divulgação do jazz nacional e internacional que se faz na atualidade. Nesse sentido, é um evento que reúne diversos estilos, músicos de todas as gerações, desde os consagrados aos novos valores, apresenta discos recentes e aposta na divulgação do Jazz feito na região. A direção artística volta a estar a cargo do saxofonista César Cardoso.
Programação:
11 NOV. 21h30
APRESENTAÇÃO DA 3ª EDIÇÃO DO FESTIVAL E DOS COMBOS RESULTANTES DAS OFICINAS DE JAZZ
Entrada livre (sujeita a levantamento de bilhete e lotação da sala)
17 NOV. 21h30
JOÃO BARRADAS TRIO | Espetáculo de arranque da 3ª Edição do FESTIVAL JAZZ DA MARINHA GRANDE
João Barradas é um dos mais conceituados e reconhecidos acordeonistas europeus, movendo-se, simultaneamente, entre a música Clássica, o Jazz e a música improvisada.
Venceu alguns dos mais prestigiados concursos internacionais, dos quais se destacam, entre outros, o Troféu Mundial do Acordeão, que vence por duas vezes, o Coupe Mondale de Acordeão, o Concurso Internacional de Castelfidardo e o Okud Istra International Competition. Em 2016 gravou, com a Inner Circle Music, o seu primeiro álbum enquanto líder. “Directions” conta com a produção de Greg Osby e com as participações de Gil Goldstein e Sara Serpa. Apresenta-se em Trio com os músicos André Rosinha e Bruno Pedroso.
18 NOV. 21h30
MÁRIO LAGINHA TRIO
Mário Laginha não é o homem dos sete instrumentos, porque o seu instrumento é o piano, mas o pianista gosta de navegar pelos muitos mundos sonoros que fazem o planeta música. Basta espreitar para os discos que gravou com a cantora Maria João, marcados pela linguagem do jazz, mas por onde perpassam influências que vão da música portuguesa e a clássica (sobretudo no disco a solo “Canções e Fugas”), até à pop anglo-saxónica ou às músicas brasileira e africana, para percebermos que estamos perante um músico que não gosta de ser catalogado em categorias estanques.
No trio que mantém com o contrabaixista Bernardo Moreira e o baterista Alexandre Frazão, com quem gravou até agora 2 discos, Mário Laginha mantém esse gosto pela mistura, pela diversidade e pelo risco.
24 NOV. 21h30
ANDRÉ FERNANDES “CENTAURI”
Qualquer alma que devote o mínimo de atenção às movimentações jazzísticas portuguesas da última década e meia sabe que, quando se fala de guitarristas, há um nome que se destaca acima de qualquer suspeita: André Fernandes.
Exímio instrumentista e dotadíssimo compositor, já tocou com uma miríade de enormes jazzmen nacionais e estrangeiros que lhe elogiam a originalidade (Lee Konitz, Mário Laginha, Maria João, Bernardo Sassetti, David Binney entre outros), a vitalidade e a versatilidade artística. “Centauri” junta Fernandes a dois dos mais talentosos e jovens saxofonistas portugueses, José Pedro Coelho e João Mortágua, e a uma das mais jovens e requisitadas secções rítmicas nacionais em Francisco Brito e João Pereira.
25 NOV 21h30
DEMIAN CABAUD QUINTETO
O quarteto de Demian Cabaud segue uma premissa de Kandinsky: “Não devemos tender à limitação, mas à libertação, pois só a liberdade nos permite acolher o futuro”. É com esta perspetiva de reinvenção do jazz que o contrabaixista e compositor de origem argentina, mas residente em Portugal há 15 anos, convida os músicos Ariel Bringuez, Xan Campos e o lendário Jeff Williams a conceber e executar uma visão musical da liberdade em que a improvisação é predominante, percorrendo inesperados caminhos entre os espaços da ordem e do caos, do concreto e do abstrato, do sossego e do desassossego.
Trata-se de uma música “fresca, que vive cada momento e nunca se repete”.
 
Melgaço
Melgaço acolhe na próxima segunda-feira, 6 de novembro, REDITUS - I Jornadas sobre Património Cultural de Melgaço, um evento que promove o Património Cultural do concelho. A iniciativa centra-se na temática Paleolítico e é de vertente pedagógica, com sessões orientadas por Professores Universitários, de Portugal e da Galiza, de áreas como Arqueologia, História e Sociologia. O propósito é dar a conhecer a todos a riqueza patrimonial de Melgaço, bem como a sua história, para que a mesma possa ser divulgada junto da comunidade e de quem visita o concelho.
 ‘Reditus’ surge na sequência dos resultados obtidos pelas escavações arqueológicas que decorrem, desde o verão de 2016, na freguesia de Remoães. Até então, os trabalhos geraram descobertas importantíssimas para os estudos da presença do Homem na região do Vale do Minho. De acordo com o Coordenador do projeto, João Ribeiro, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, ‘os promissores trabalhos de Melgaço permitiram reconhecer a diversidade de estratégias de ocupação da região pelo homem paleolítico tanto no tempo como no espaço, tendo mesmo permitido reconhecer a presença do homem de Neandertal na região’. As escavações acontecem no âmbito do projeto transfronteiriço ‘Os primeiros habitantes do baixo Minho’, previsto decorrer nos vários municípios portugueses e espanhóis do troço internacional do rio Minho.
O evento é dirigido à população em geral, empresas de animação, comunidades escolares e funcionários afetos a serviços de atendimento (como Museus, Loja de Turismo, Porta de Lamas de Mouro, Casa da Cultura e Biblioteca de Castro). 
Santarém
O 4º Encontro da Associação Portuguesa de Casas-Museu terá lugar dia 3 novembro 2017, na Casa do Brasil em santarém, com o lema “Redes Culturais: projeção de futuro”
- Programa -
MANHÃ
9H30      Receção
10h00    Abertura: António Canavarro, Presidente da APCM
10h30    Conferência de abertura " Ligar pessoas - criar pontes: Desafios das Redes de Museus em Portugal"
por Pedro Pereira Leite (investigador Universidade de Coimbra)
11h00    Primeiro Painel
Comunicação “O projeto Artéria: uma proposta metodológica para o trabalho em rede no campo cultural”
por Cláudia Pato (Teatrão e Centro de Estudos Socias da Universidade de Coimbra)
Comunicação “Projetos culturais e financiamentos no contexto europeu de 2017”
por Cidália Duarte (Direção Regional da Cultura do Norte)
12h00
Pausa para café
12h15
Visita à Casa Anselmo Braancamp Freire (Câmara Municipal de Santarém)
13.15     Almoço livre
 
TARDE
15h00   
Visita à Casa-Museu Passos Canavarro
 
16h00 Segundo Painel
Comunicação   As “minhas” Redes. Uma visão pessoal e profissional
Por Miguel Crespo (Parques de Sintra – Monte da Lua / Palácio Nacional de Queluz)
Comunicação “O poder das redes informais”
por Fátima Alçada (Câmara Municipal de Ovar)
17h00
Conferência de encerramento: “Itinerários Culturais: memória histórica e dimensão contemporânea”
por Maria Marques Calado, Presidente do Centro Nacional de Cultura
INSCRIÇÕES: Casa-Museu Passos Canavarro, Largo da Alcáçova, 1,
Sobral de Monte Agraço
É já no próximo dia 11 de novembro que terá lugar mais uma caminhada organizados pela Junta de Freguesia de Sapataria, com a colaboração do município de Sobral de Monte Agraço. Na edição deste ano, será também realizado um passeio de BTT.
Nesta atividade, propõe-se ao participante uma «visita» às belas paisagens rurais da Freguesia de Sapataria com oferta de almoço churrasco à chegada.
A concentração e partida terão lugar na sede da Junta de Freguesia pelas 9h e as inscrições, gratuitas, podem ser realizadas mediante indicação de nome completo, idade, concelho de residência e telefone até ao próximo dia 09 de novembro para: junta.f.sapataria@iol.pt ou turismo@cm-sobral.pt.
 

Mensagens populares