Segredos dos Açores – O Chá Gorreana

Em São Miguel, nos Açores é plantado desde tempo imemoriais o reconhecido Chá Gorreana. Até aos dias de hoje o cultivo, a apanha, a secagem e o tratamento do chá é feito com todo o carinho, à moda antiga e como manda a tradição.
O que é um facto e aparentemente descoberto um pouco por acaso, é que as plantas do chá se dão muito bem nesta região.
No séc. XIX, a ilha de São Miguel estava coberta com maravilhosas laranjeiras mas em meados do seculo, com a chegada de uma praga que dizimou grande parte desta cultura, as gentes foram obrigadas a procurar outras formas de subsistência. As plantas do chá já eram cultivadas mas não se sabia como produzir este poderoso líquido até que foram chamados 2 chineses, que vieram de terras longínquas e ficaram durante 6 anos para ensinar todas as técnicas para trabalhar a folha do chá. O sucesso foi grande e chegaram a existir 14 fábricas a operar em simultâneo.
Fundada no seculo XIX, o Chá Gorreana funciona até aos dias de hoje da mesma forma tradicional desde a sua produção até ao embalamento.
São usadas três folhas do rebento, cada uma dá origem a um chá diferente. O Chá verde utiliza as três folhas, que são fermentadas somente durante algumas horas, já as folhas do chá presto fermentam durante três dias.
Por aqui tudo é feito com ajuda de máquinas, algumas centenárias mas utilizando processos naturais e manuais. A fábrica, local de emprego de famílias, passa de geração em geração para funcionários e patrões e de ambos os lados parece existir o mesmo amor e dedicação.























Mensagens populares