Destino Fortaleza


O destino desta história é Fortaleza porque é para esta cidade que existe voo direto à saída de Lisboa, no entanto, desta vez fui mais além e cheguei a Lagoinha. Para quem não conhece, Lagoinha é uma praia de águas calmas a cerca de uma hora de Cumbuco.










Considerada uma das praias mais bonitas do Ceará, Lagoinha é um oásis de tranquilidade, rodeado de areias claras, águas transparentes e coqueiros que avançam quase até à praia. No entanto, recentemente, houve uma tentativa de dominar as dunas junto à água, avançando com uma obra que foi embargada em 2009. A construção dos portugueses parou e agora restam esqueletos de cimento representando um resort de luxo que não foi autorizado com esta dimensão e um amontoado de gruas degradadas, a ferir a paisagem anema e a vista de quem estiver à espera de só encontrar natureza no estado puro.

Se superarmos esta marca na paisagem encontramos um vasto areal em forma de baia, um mar quente com algumas ondas e uma corrente forte, que nos obriga a ter cuidado mas que não nos impede de aproveitar tudo o que nos é colocado à disposição.


Para além do restaurante de praia onde se come bastante bem, do bar de praia, do sol e do mar, a sugestão criada para os turistas deve ser aproveitada pois é a melhor forma de conhecer um pouco melhor esta região.

Neste passeio utilizam-se três meios de transporte e se por um lado não tem emoção sobra em animação. A aventura começa com um passeio de buggy pelas dunas e pela beira-mar de uma praia enorme e praticamente deserta. Neste passeio ficamos a conhecer pontos especiais como a lagoa do jegue -um burro - nesta lagoa pode-se observar uns quantos que vivem tranquilamente por ali, e ainda fontes de água mineral junto à praia, dizem os entendidos que ali existe uma fonte da juventude, e paisagens de areias coloridas.









Do buggy passamos para a travessia da lagoa das Almécegas, planta nativa das margens da lagoa, que é feita de catamaran. Esta lagoa alberga nas suas margens a Reserva Ecológica de Pedrinhas, local obrigatório de paragem para tomar um refresco e descansar numa cama de rede, dentro de água, enquanto se aguarda pelo próximo meio de transporte. Para o fim ficou o Pau de arara, um camião aberto, onde o ar condicional é natural e o calor salta por entre os corpos suados. A segurança é organizada de uma forma bastante simples: se o camião estiver cheio ninguém consegue cair de lá de dentro. E assim termina o passeio, regressando ao ponto de partida, já com uma visão diferente desta região e com muita fome para almoçar.


 Depois deste circuito apetece comer e descansar um pouco. Deixe as preocupações para trás e sente-se à mesa do restaurante que não sendo um luxo coloca à disposição do cliente uma bela refeição, sumos naturais e cacifos para guardar os objetos pessoais.

Afinal a vida pode ser vivida de forma simples, tirando partido da natureza, a Lagoinha é o local ideal para explorar este conceito.  


Comentários